Kate Raworth e a Economia Donut: Uma alternativa ao crescimento a qualquer custo

Existe alguma alternativa viável para o atual sistema econômico? Para a economista Kate Raworth, a resposta é uma drástica mudança de paradigma

em 20/10/2019

Dividido em sete capítulos, o livro “Economia Donut, uma alternativa ao crescimento a qualquer custo”, propõe um sistema no qual as necessidades de todos serão satisfeitas sem esgotar os recursos do planeta. Uma das propostas desse novo modelo econômico seria, por exemplo, contemplar as riquezas produzidas dentro de casa e apostar na economia circular, que é distributiva, colaborativa e regenerativa.

“Quando a teoria econômica do século XVIII foi pensada, por homens, a casa era ignorada, uma vez que era relegada às mulheres. Hoje, contudo, já sabemos que ela é essencial, pois é onde começamos todos os dias. O século XX ficou obcecado pelo mercado, mas devemos lembrar que bens e serviços podem ser gerados assim e de várias outras maneiras diferentes, não só na lógica do mercado”, resume a economista Kate Raworth, autora da obra, que esteve em 03/07 na Casa Firjan, para lançar seu livro.

A economista, na ocasião, debateu sobre as possíveis coordenadas para guiar as políticas governamentais, o desenvolvimento global e as estratégias corporativas. A economista é descrita pelo jornal britânico The Guardian como o John Maynard Keynes (1883 – 1946) – cujos pensamentos deram base ao keynesianismo – do século XXI. Ela leciona no Environmental Change Institute, da Universidade de Oxford, onde é pesquisadora visitante sênior, e no programa Economics for Transition, no Schumacher College. Sua pesquisa tem como foco os desafios sociais e ecológicos do século atual.

Em cada um dos capítulos, Kate analisa os sete pontos críticos com que a economia dominante nos trouxe à ruína – do mito do “homem econômico racional” à obsessão pelo crescimento ilimitado a qualquer custo. Para ela, o cenário de crise financeira permanente, desigualdade social enorme e grande impacto negativo sobre o meio ambiente mostram que o modelo econômico vigente está ultrapassado e não responde mais aos nossos desafios.

“Economia é a ciência de pensar em modelos econômicos que sejam relevantes e condizentes com o contexto mundial em que está inserido, disse uma vez John Maynard Keynes. Ele ficaria enlouquecido ao saber que ainda estamos presos a modelos de séculos passados”, analisa Kate.

Mas por que Economia Donut?

Ela explica que o donut em si é um compasso para o progresso humano. “Parece uma rosquinha, e a parte de dentro é onde as pessoas caem quando ficam sem casa, dinheiro, água e alimentação. Não queremos que ninguém fique ali. O objetivo é que todos fiquem em cima do donut, mas sem aumentar demais a pressão no planeta. Do contrário, teremos problemas climáticos sérios”, argumenta. Portanto, o desafio é ficar nesse ponto que contemple ambas as necessidades.

Kate criticou ainda o modo como as universidades ensinam economia atualmente. De acordo com ela, os estudantes ainda hoje relatam que a primeira coisa que aprendem é sobre oferta e demanda. “Não aprendemos para que serve a economia, mas sim como o mercado funciona e porque funciona. Acabamos pensando que economia é apenas isso. Hoje, temos mais diversidades de pensamentos, com homens e mulheres desenvolvendo ideais não somente nos países dominantes”, afirma.

Tópicos:
  • Aquário Casa Firjan
  • Economia Donut
  • Kate Raworth
  • ESG
  • Nova Economia
Em destaque
Aquário Casa Firjan Como a moda virtual transforma a indústria e cria tendências de consumo digital?

Além do consumo consciente, especialistas destacaram que as peças criadas virtualmente são excelentes ferramentas de promoção das marcas

em 06/10/2021

Aquário Casa Firjan A monja e o poeta: Reflexões sobre bem-estar emocional para o mundo corporativo

“Perceber que seu papel é importante, apreciar o que faz e saber que está fazendo o seu melhor”, aconselhou Monja Coen sobre a satisfação no trabalho

em 01/10/2021

Aquário Casa Firjan Líder humano gera resultados: Como transcender o seu eu para impactar a si e fazer as empresas crescerem

Para especialistas, o novo modelo de negócio requer líderes compassivos e humanizados

em 23/09/2021