O líder do futuro: ser mais humano e conectar-se com emoções será cada vez mais decisivo

Conceituado futurista Christian Kromme abriu o Summit Firjan IEL

em 12/03/2020

O líder do futuro: ser mais humano e conectar-se com emoções será cada vez mais decisivo

Sentimentos, emoções, empatia, fortalecimento de relações interpessoais. Diante de um cenário em que a tecnologia parece empurrar para longe esses elementos tão humanos, são justamente as características próprias de nossa espécie que os novos líderes do mercado de trabalho devem aprimorar.

Esse olhar para as próprias emoções e sua importância diante da acelerada transformação tecnológica foram temas do Summit Firjan IEL. O evento foi promovido pela Firjan IEL, a escola de negócios da indústria, na Casa Firjan, com o objetivo de discutir novas formas de liderar.

O encontro teve início com a apresentação do holandês Christian Kromme, conceituado futurista, empresário e autor do best-seller Humanification - Go Digital, Stay Human. Para exemplificar a velocidade com que o mundo tem mudado e os efeitos dessas reviravoltas tecnológicas, Kromme comparou a ansiedade sentida pelas lideranças atuais diante das mudanças com a de alguém em uma praia ao ver uma gigantesca onda se aproximando. “É um maremoto de disrupção”, exemplificou.

Assista à palestra de Kromme (em inglês) na íntegra:

Para “surfar” essa onda, aproveitando sua força sem ser arrastado por ela, Kromme propõe como obrigatório um compromisso com a inovação na gestão das empresas. Permanecer na chamada zona de conforto não é uma opção, já que, segundo o futurista, não há ramo de negócios que permanecerá imune à revolução tecnológica.

Em vez de calar as emoções, desenvolvê-las

Um dos problemas de deixar aflorar nossas emoções tem a ver com a forma com que lidamos - ou, neste caso, deixamos de lidar- com os sentimentos. Se o nosso papel no mercado de trabalho do futuro está relacionado ao que nos torna mais humanos, teremos de desenvolver as chamadas soft skills, competências sócio-emocionais que se tornam decisivas nesse novo cenário.

Pioneira em cursos de extensão em neurociência no Brasil, a neurocientista Carla Tieppo, também palestrante no Summit Firjan IEL, criticou o entendimento de que é preciso calar as emoções na vida profissional. “Precisamos trabalhar com o desenvolvimento emocional. Isso não tem nada a ver com o controle das emoções. Não estamos falando de regras, de processos, de disciplina”, analisou.

Para Carla, é preciso desacelerar o processo de desenvolvimento das lideranças, justamente para que tenham tempo para aprender a gerir suas emoções sem abafá-las: “É um momento de formação em que a pessoa pode colocar sua energia no encontro do seu propósito. Em vez de ter a obsessão por subir rápido na carreira, ela pode entender como quer transformar o mundo com sua presença”.

Assista à palestra de Carla Tieppo na íntegra:

Assista às outras palestras do Summit Firjan IEL:

“Como alavancar a experiência de seus clientes”, com Fabio Avellar:

"Sensemaking, faz diferença quem faz sentido", com Denise Eler:



"Inovação e Produtividade por meio da Indústria 4.0", com Paula Bucchianeri:



"Como me tornei tubarão, minha história dentro do empreendedorismo", com Camila Farani:



Carla Tieppo e Denise Eler debatem "Futuro do Trabalho". A mediação é de Carol Fernandes: