Casa Firjan reflete sobre os desafios da comunicação empresarial durante a pandemia

Aquário foi realizado de forma remota com especialistas

08/04/2020

Casa Firjan reflete sobre os desafios da comunicação empresarial durante a pandemia

No quarto Aquário especial sobre Covid-19, a Casa Firjan promoveu debate sobre “Gestão de crise e os desafios da comunicação para as empresas”. Os especialistas abordaram a importância de a empresa se posicionar, como se comunicar com os colaboradores e o consumidor, além da melhor maneira de utilizar as redes sociais, entre outros pontos. Para Rachel Rossi, coordenadora de Comunicação e Conhecimento Corporativo da Firjan, que fez a intermediação da transmissão online, este é um cenário novo para todos. As empresas precisam, mais do que nunca, se utilizar do compartilhamento de informações, ter uma ideia de coletividade e trabalhar conceitos de transparência, honestidade e empatia, para manter a confiança tanto dos seus colaboradores quanto dos consumidores.

Participaram de forma remota os especialistas em comunicação Dario Menezes, diretor executivo do GroupCaliber - Gestão de Marca e Reputação e professor da FGV e da ESPM; Carla Knoplech, fundadora da Agência Forrest - Conteúdo & Influência; Isabela Pimentel, consultora em planejamento de comunicação integrada; e Fernanda Meireles Serpa, responsável pela comunicação interna e responsabilidade social da Tupperware no Rio; além de Vinicius Martins Barbosa, gerente de Produção da Mustad Hoofcare e especialista em gestão de crise e gestão sindical.

De acordo com Menezes, a comunicação tem em sua conceituação básica a confiança, o que, para o setor empresarial, chega a ser como um cheque especial. Neste momento de crise abrupta, manter o grau de confiabilidade é essencial. “O setor empresarial precisa mensurar sua reputação, identificar os stakeholders, analisar quanto esse contexto impactou no seu grau de confiança. Então, fortaleça a sua proposta, comunique com empatia e entenda o seu público. E faça campanhas de consumo consciente e marketing de causa alinhados aos ideais da marca”, pontuou o diretor do GroupCaliber. 

Quatro palavras de ordem 
Segundo ele, são quatro as palavras de ordem para uma comunicação de sucesso: ética, solidariedade, compartilhamento e empatia. Alinhada ao pensamento de Menezes, Isabela disse que as empresas precisam se posicionar e ter uma postura de acolhimento com o seu público. “E como se posicionar? Utilizar de um processo de escuta e estar sensível à necessidade dos clientes para não fazer uma comunicação que não condiz com o momento. Tem que ser realista, mas também acolher e mostrar uma perspectiva de futuro. Não tem como continuar o mesmo calendário de antes da pandemia”, frisou.

 Já de acordo com Carla, não adianta fazer só e-commerce. “As redes sociais podem ser esse caminho de comunicação, mas é preciso compartilhar o processo de ideias, convidar o consumidor para a tomada de decisão. Este momento de ruptura abrupta traz uma licença poética para que as empresas possam inovar nas suas formas de comunicação e utilizarem, por exemplo, microinfluenciadores. A relação deve ser construída além do produto. Essa é a grande virada de chave”, explicou a fundadora da Agência Forrest.

Segundo Fernanda, esta é uma crise sem precedentes, em que se faz necessário fortalecer a imagem, por meio da transparência. Para Barbosa, por sua vez, um bom gestor tem que criar um time de gestão de crise, com agendas e reuniões frequentes, além de buscar metas pensando nas pessoas. “Um gestor que lidera com transparência e serve de exemplo consolida seus atos em uma cultura interna”, concluiu.

Assista ao Aquário na íntegra: